O fardo de ser mulher


Ontem saiu uma matéria na internet que me intrigou. Era uma entrevista do Piqué assumindo que traiu a Shakira e dizendo que ele o fez porque achou que ela não se importaria com uma traição casual frente a um casamento de doze anos. No mesmo instante, o meu lado feminista se debateu e comentei na postagem: “Tudo bem se ela desse pra outro, então?”.


Meu comentário rendeu mulheres aplaudindo e homens tentando justificar a postura de Piqué, dizendo: “E você acha que ela não deu?”.


Ou seja, tentaram diminuir o erro do marido com a desculpa de que, talvez, ela tenha feito o mesmo às escondidas. Defenderam a traição acusando quem foi traído.


"Vocês não estão se relacionando com crianças irracionais. Eles sabem o que estão fazendo e fazem porque querem."

Não preciso dizer o quanto a sociedade ainda é machista, está mais que escancarado. O que me entristece é ver que o próprio marido de Shakira achava que ela tinha o dever de aceitar a traição e de se importar com o casamento que ele próprio não levou em consideração. O que vejo é que ele a culpa pelo fim, por não perdoar sua saidinha esporádica.


Agora ingressarei em outra postagem que não se trata de uma pessoa famosa, é apenas algo que vi e me estressou.


Uma mulher relata que ela e o marido discutiram por causa do celular dele – por motivo de ciúme – e que, no meio da discussão, ele, embriagado, quebrou o próprio celular.


"Mulheres, não se deixem ser manipuladas a ponto de se sentirem culpadas por ações que não são suas."

Na manhã seguinte, ao acordar e se lembrar do que aconteceu, o marido culpou sua esposa, dizendo que o aparelho era sua ferramenta de trabalho e que agora, graças a ela, ele estava sem celular. Que ela o fez jogar no chão, dentre outras acusações para que ela se sentisse responsável.


Mencionei esse outro caso porque há um ponto em comum com o primeiro. Em ambos, o marido responsabiliza sua esposa pelas próprias ações. Independente do que houve durante a discussão no segundo, o descontrole foi do marido. Ele arremessou sua própria ferramenta de trabalho no chão. Ele não se importou se aquela era sua fonte de renda.


Mulheres, não se deixem ser manipuladas a ponto de se sentirem culpadas por ações que não são suas. Vocês não estão se relacionando com crianças irracionais. Eles sabem o que estão fazendo e fazem porque querem.


Se fulano te traiu, foi porque quis e porque estava ciente do risco de te perder. Se fulano quebrou o próprio celular, foi por não ter controle das próprias emoções.


Não carreguem nas costas fardos que não são seus. Ser mulher em um corpo social tão machista já é algo pesado demais para suportar.


Renata Christiny para a coluna Empoderamento feminino

Encontre-a no Instagram: @r_christiny